Skip to content

A voz da sabedoria: Lanterna Verde

22/08/2011
Ryan Reynolds como entregando o anel.

Pode ficar, quero não, tô bem, valeu.

O primeiro trailer de Lanterna Verde foi o segundo post deste blog, e tenho orgulho de dizer que, como profeta do desastre que sou, previ alguns dos maiores problemas desse filme naquele post. Depois repostamos o trailer, mais bem acabado, que saiu na WonderCon 2011, e até fiquei um pouco mais animado. Fui garoto. Dei mole. Depositei confiança em quem não merecia.

O filme é ruim. Suficientemente ruim a ponto de eu ficar pensando que talvez fosse pior que X-Men Origins: Wolverine. Não é, seria injustiça minha dizer que fosse, mas chega perigosamente perto.

Com 25 minutos de filme eu já estava doido para ir embora. Eles derrubaram completamente o aspecto solene da corporação na primeira sequência, quando eles entregam tudo sobre a mesma: origens, função, capacidades… tudo. Talvez por medo que uma platéia leiga fosse ficar muito perdida, sei lá. Aí começa a “saga” de Hal Jordan: uma sequência inicial com caças que não fica devendo nada a Top Gang (o que me leva a pensar que talvez esse filme fosse mais legítimo se tivesse Charlie Sheen como Hal Jordan), seguida por uma série de cenas corridas que tenta contextualizar o histórico de imprudência de Jordan, de sua relação com a família, de sua relação com seu par romântico, da relação do par romântico com a família dela e com a empresa que ela vai herdar, com a suposta grande habilidade de vôo de Jordan… e a esquisitíssima abdução para o local da queda da nave de Abin Sur. Isso fecha o primeiro bloco já deixando um gosto ruim na boca.

Aí entram as participações de Hector Hammond e sua incomum relação de rejeição com Carol Ferris, Sinestro e sua estranha relação com poder e o Senador Hammond e sua estranha relação com tudo, inclusive com a câmera, o que é estranho para um ator da categoria de Tim Robbins.

Aí chega Parallax, uma porrada de explicações empurradas com a barriga, Hal Jordan desistindo (mas não abrindo mão do anel), o mundo vai acabar, tudo muda, pereré-pão-duro. Sinestro pede que os Guardiões façam um anel amarelo, Jordan pede para não usarem, que e só passar pra ele que ele faz o gol e tchum. Numa sequência final péssima (porra, ninguém tinha pensado em jogar Parallax em uma mega-estrela antes?), tudo acaba com um beijo, Jordan se despede de Carol. Fim.

É isso aí. Basicamente, o filme é isso. Agora imagine tudo isso extremamente mal montado, com efeitos especiais especialmente toscos (toda a animação de Parallax é péssima) e atuações canhestras, até mesmo de grandes atores como Angela Bassett, Tim Robbins e Peter Sasgaard.

Ryan Reynolds é um problema por si só. Nem achei que a condução da sua mudança de filosofia de vida de um playboy live free die hard para uma pessoa disposta a morrer pelo seu planeta tenha sido tão ruim, mas por Deus, ele é ruim demais. No discurso para os Guardiões no final, fiquei esperando que a qualquer momento ele fosse mandar um “haha, tô de pilha”: rigorosamente nenhuma convicção.

Agora, novamente tenho que bater palmas para Mark Strong. Ele se salva como Sinestro: solene, bad-ass e prepotente, como deveria. O problema é a porra do roteiro que, mesmo depois do final onde ele faz um puta discurso sobre os Lanternas Verdes, e que Jordan é corajoso, e que isso tudo foi muito maneiro e talz, leva ele a pegar a porra do anel amarelo. Simplesmente escroto. Já tava achando legal que, em um possível segundo filme, Sinestro seria um aliado de Hal para serem inimigos só no terceiro mas nãããããããão…

Roteiro ruim, direção ruim, efeitos toscos, péssimas atuações… por Deus, esse filme é um desastre. E o pior é que a idéia geral não é ruim. Não é como Thor, por exemplo, cuja premissa do personagem em si já é difícil de digerir  mas o filme foi bom. Numa boa, qual é o problema da Warner Bros.?

Em tempo: ainda bem que Blake Lively é bonita, porque se ela fosse depender do talento pra ganhar dinheiro…

O 88 milhas por hora dá para esse filme a nota 1,345 metros de fita durex.

Anúncios
7 Comentários leave one →
  1. 22/08/2011 13:32

    Adorei a resenha do filme!!!
    Eu ainda não tive coragem de ver, pois de filme de super-herói não temos tido resultados favoráveis… pra ser sincera, essa resenha me animou a ver, mas na TV, é claro!!

    =)

    • Eduardo Derbli permalink*
      22/08/2011 13:42

      Hmmm, você viu Thor ou Capitão América? Se não são sensacionais como O Cavaleiro das Trevas, acho que podem ser considerados bons filmes (pelo menos a gente aqui gostou). E se mesmo gostando dessa resenha, você ainda quer ver o Lanterna Verde, você provavelmente tem um senso de humor muito melhor que o meu para essas coisas! ;-D

      Obrigado pelo comentário e volte sempre!

    • Felipe Esteves permalink*
      22/08/2011 18:05

      Eu não tenho coragem de ver. Me chamem de medroso, mas vou passar essa, assim como fiz com Transformers.

      E Pritch, volte sempre! 🙂

  2. ivan permalink
    22/08/2011 16:04

    Ela tem o coração generoso de um Hobbit, dentro da figura encantadora de uma Elfo do Senhor dos anéis… 🙂

    Sobre o filme, convenhamos: a gente sabia!…

    Ou a DC segue o caminho da Marvel e deixa (ou traz) a produção dos filmes para quem entende e/ou gosta de HQs, ou vai depender sempre de acidentes favoráveis como o Nolan com o Batman ou (aívempolêmica) o Snyder com o Watchmen… Muito pouco para um universo tão rico de possibilidades quanto a dos personagens da Editora. A meleca de tudo é que existe a Warner…

    • Eduardo Derbli permalink*
      22/08/2011 17:00

      A Marvel se acertou nos trilhos quando trouxe os filmes para si, mas realmente não me parece que a DC tenha interesse ou tino para isso.

      Em tempo: Watchmen do Snyder é fodástico.

  3. ivan permalink
    22/08/2011 18:37

    Não posso deixar passar sem menção um dos raros e felizes momentos em que concordamos integralmente, iac!

  4. Andre de Lemos permalink
    23/08/2011 20:58

    Nada, absolutamente NADA, com esse energúmeno aí presta. Sério. NADA! Não é preciso ser um gênio, nem ter bola de cristal para predizer que isso ia dar em merda. Não vou me dar ao desprazer de ir assistir num cinema, vou baixar qq coisa da net mesmo só pq meu sangue mezzo vulcano mezzo humano está borbulhando…

    Mas pode ser apenas o “Pon Farr”… TRUE PORN!!!!

    Ou isso ou a Caesar’s Salad que eu comi no almoço…

    \\.//_

    Vida longa e próspera…

    E passar bem!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: