Skip to content

A voz da sabedoria: O Espetacular Homem-Aranha

17/07/2012

Sente a química? A tensão sexual? Nem eu.

Atrasado, né? Eu sei. O problema é que mesmo com todos os trailers, featurettes, fotos exclusivas e entrevistas, eu simplesmente não consegui ficar animado com O Espetacular Homem-Aranha. Seja pela sombra da recente trilogia, pela óbvia motivação da Sony em fazer o filme simplesmente para não perder a licença ou pela desproporcional cabeça de Andrew Garfield, não havia uma força que me empurrasse em direção ao cinema. Talvez o blog, mas eu realmente esperava que o Felipe fosse levar essa bala pelo time (o que não fez, o inútil). Mas eis que o destino interviu, e a sessão de Valente que eu ia pegar encheu muito rápido, me obrigando a decidir entre o amigo da vizinhança ou alguma comédia romântica com a Katherine Heigl ou Ryan Reynolds.

Mas estou digredindo. O filme? É perfeitamente dispensável. Não chega a ser ruim, mas o diretor Marc Webb (entendeu? WEBB? Hein? Hein?) fez algumas escolhas muito equivocadas, que pareceram mais despeito com Sam Raimi que escolhas criativas.

O tal “tom sombrio” (dark and gritty, como é chamado pelos “experts”) incomoda. Depois do sucesso de O Cavaleiro das Trevas, todo filme tem que ser sombrio. Acho que Joss Whedon mandou isso pros caralhos com Os Vingadores, mas Marc Webb resolveu tentar seguir a cartilha. Isso torna o filme infinitamente mais dramático do que deveria. Peter Parker deixou de ser um nerd sem absolutamente nenhum traquejo social e se tornou um jovem adulto com problemas de identidade e lealdade em relação à família. A interpretação de Garfield para essa tortura fica em algum lugar entre a gagueira funcional e a síndrome de Tourette.

Talvez por isso, a alegria decorrente da aquisição dos poderes seja tão pouco crível – simplesmente não muda nada em relação às perspectivas para o futuro dele. Contudo, isso parece afetar um bocado a questão do seu suposto humor. Em todas as entrevistas, roteiristas, atores e diretor deixaram claro que esse Aranha seria mais parecido com aquele da revista, afeito a piadinhas em momentos pouco próprios, normalmente fazendo troça de seus inimigos. E isso até acontece. Mas o contraste com o Peter em seu estado natural é inteiramente paradoxal. Podem vir a dizer que isso seja eletivo, que o objetivo era que como Aranha ele fosse diferente, mais seguro e, consequentemente, sujeito a troçar os outros. Mas em nenhum momento anterior aos poderes isso parece ser uma coisa que o afeta – ele parece sempre perfeitamente satisfeito com sua esquisitice e chororô em geral. Esse tipo de mudança deveria estar na narrativa, e não está. Simplesmente não faz sentido. Sem falar no fato do Flash Thompson, sem motivo aparente, virar melhor amigo do cara. A questão da Gwen Stacy então chega a ser ofensiva à inteligência. A menina é impopular, mas (meio que) namora o menino mais popular. Aí começa a dar mole pro Peter de uma hora para outra, e o Flash fica tranquilo, e vira melhor amigo dele. Hein?

Acho que Rhys Ifans fez um bom vilão, mas o momento mais crítico do seu personagem, no qual ele fica dependente da fórmula, é simplesmente atropelado, então parece que ele vira vilão de uma hora para outra. A presença de Norman Osborn como um vilão velado me pareceu uma ótima escolha – prepara bem o terreno para os filmes seguintes. Mas e aquela cena no fim dos créditos? Dispensável. Martin Sheed e Sally Field estão bem, mas nada acrescentam. A morte do Tio Ben é igual a da triologia anterior, só resta saber se depois o cara da estrelinha no pulso também vai virar o Homem-Areia. As sequências de ação são honestas, mas nada que chame atenção.

Como disse no início, o filme tem mais problemas que soluções. Webb poderia ter aproveitado os acertos de Raimi e criado em cima disso, mas não – ficou tão preocupado em ser diferente que não ficou muito, e o que ficou não faz o menor sentido.

O 88 Milhas por Hora dá para este filme 1,898 aranhas geneticamente modificadas que não têm a menor relação com o restante do filme.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: